“Daqui eu não saiu”: briga pela principal cadeira do Senado

foto google
 
 

A Presidência do Senado divulgou uma nota garantindo que não existe parecer da Consultoria Legislativa do Senado sobre a impossibilidade de reeleição dos membros das Mesas do Congresso Nacional. Existe, diz o texto da Presidência, é uma análise assinada por um consultor da Casa, a pedido do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Na nota, o presidente do Senado e do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, diz que, em razão do seu “dever de velar pelo respeito às prerrogativas do Senado”, a instituição restringiu sua manifestação no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o tema, em resposta à intimação feita na Ação Direta de Inconstitucionalidade 6524, proposta pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

O texto afirma também que, nas informações prestadas ao STF, a Advocacia do Senado defendeu a observância das prerrogativas constitucionais asseguradas à Casa para definir a interpretação das suas normas, a partir da “deliberação soberana dos 81 senadores no Plenário”.

Ainda por meio da nota, Davi Alcolumbre lembra “o compromisso de zelar pela independência do Senado Federal, evitando-se que a opinião defendida por um partido ou por um grupo de 10 senadores seja imposta aos demais 71 senadores, privando-os de exercer sua missão constitucional nesta ou em outras matérias”.

Urgência

O senador Lasier Martins (Podemos-RS) protocolou na Secretaria-Geral da Mesa do Senado um requerimento de urgência na apreciação pelo Plenário do PRS 53/2018, projeto apresentado por ele para garantir o voto aberto na próxima eleição à Presidência da Casa.

O documento, apoiado por 22 assinaturas físicas e virtuais, pede que seja pautada a proposta de mudança no Regimento Interno do Senado para acabar com o sigilo na escolha do chefe do Legislativo. Lasier disse que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, precisa “cumprir a sua promessa feita na posse e pôr fim ao segredismo nas eleições da Mesa”.

Redação/Agência Senado